6 de out de 2009

A dor da perda!

Perdi meu grande amor, na curva da existência

Ela escapuliu por entre os meus sentimentos

Foi arrancada de mim, de forma tão covarde, sorrateira

Partiu nas asas de um dia triste

Dia nefasto

Minha vida balançou na linha tênue da existência

Minha poesia perdeu sua singela simetria

O tempo tornou-se apenas mais um adversário a ser vencido

A caminhada ganhou um peso descomunal, sobrenatural

Quando perde-se um grande amor, perde-se a vida.

Mas há uma caminho...continuar a viver...!


Esse poema, me fez lembrar de uma história de amor interrompida por uma fatalidade da vida, uma história contada a mim, por uma pessoa q eu nunca vi na vida,(talvez eu nunca o veja), um cara q eu não conheço,(espero eu um dia conhecer), um cara q por algum motivo se sentiu a vontade e se abriu comigo, contando um pequeno trecho de um acontecimento em sua vida, talvez o mais marcante de todos os acontecimentos, e isso me fez ver o qnto os meus problemas amorosos são pequenos se comparado ao que ele passou. Tirei uma lição da história.

Aliás...que problemas amorosos que eu tenho...?






Nenhum comentário:

Postar um comentário